voltar
Pesquise sobre nossas escolas, notícias, portais e páginas.
(apague o campo para eliminar a pesquisa.)

Programa Educação Conectada é lançado em Sergipe e contempla 16 escolas públicas no município de Lagarto

Por Lucas Silva
- 11/04/2019 17:09:00
360 acessos imprimir

A iniciativa levará inovações tecnológicas às salas de aula de unidades escolares das redes estadual e municipal por meio da oferta de conexão à internet, conteúdos educacionais digitais e formação de profissionais, beneficiando, diretamente, cerca de seis mil alunos e 400 professores da educação básica

 

Em parceria com o Governo do Estado e Prefeitura de Lagarto, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o Ministério da Educação (MEC) iniciaram a implementação do Programa de Inovação Educação Conectada, uma iniciativa de fomento a projetos de incorporação de tecnologias digitais na educação pública que contemplou nove escolas da rede estadual e outras sete da rede municipal em Lagarto, Centro-Sul Sergipano, por meio de edital de chamamento público.

 

Para o lançamento oficial do Educação Sergipe Conectada, junto aos representantes do Centro de Inovação para a Educação Brasileira (CIEB), da Fundação Lemann e do Itaú Social - instituições parceiras do MEC e do BNDES para implementação do Programa - ,  a Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc) e a Secretaria Municipal da Educação de Lagarto reuniram nesta quarta e quinta-feira, 10 e 11, na sede desse município, por rede de ensino, os professores das 16 unidades escolares que receberão os investimentos resultantes da implementação dessa iniciativa do BNDES, os quais são da ordem de R$1,3 milhão.

 

A ideia do Programa é desenvolver uma educação que estimule práticas pedagógicas inovadoras, utilizando tecnologias para promover aprendizagem dos alunos, eficiência na gestão e desenvolvimento profissional para gestores e professores, por meio de oferta de conexão à internet, conteúdos educacionais digitais e formação dos profissionais da Educação. Sergipe é o quinto estado no país a ser contemplado pelo BNDES Educação Conectada.

 

"Não temos coma falar sobre Educação no século 21 sem considerarmos as inovações tecnológicas. Então, o BNDES, em parceria com as demais instituições, acerta ao propor esse Programa, e os nossos votos são de que esta iniciativa se expanda para todo o nosso Estado e que tenhamos aqui em Lagarto apenas o pontapé inicial para que a Educação, de fato e de direito, tenha, na sua prática pedagógica, os instrumentos necessários para que tenhamos uma educação pública de qualidade", afirmou o professor Abraão da Conceição, diretor regional de Educação da DRE 2, ao representar, no ato solene, o titular da Seduc, Josué Modesto dos Passos Subrinho.

 

De acordo com a professora Larissa Santa Rosa, articuladora estadual do Educação Sergipe Conectada e coordenadora da Divisão de Tecnologia do Ensino do Departamento de Educação da Seduc, o Territorial Sergipe, contemplado no chamamento público da Iniciativa Educação Conectada BNDES, não é um projeto pronto, mas sim uma base que poderá ser modificada de acordo com as necessidades e os desafios específicos de cada escola, os quais foram verificados em diagnóstico realizado por ambas as redes públicas de ensino, estadual e municipal.

 

A articuladora estadual do Educação Sergipe Conectada explica ainda que o Programa está estruturado em quatro pilares de atuação, chamados dimensões: visão, formação, recursos educacionais digitais e infraestrutura. O objetivo, destaca, é propiciar acesso a diferentes linguagens e ambientes apropriados para a reelaboração do conhecimento, de forma a potencializar a autonomia intelectual do estudante e facilitar a rotina pedagógica do professor por meio da incorporação das tecnologias digitais, com investimento em conectividade e equipamentos nas escolas.

 

"Com o Educação Sergipe Conectada visamos à superação das deficiências na alfabetização e letramento nas séries iniciais do segmento fundamental I; da evasão escolar a partir das séries finais do ensino fundamental II, devido à deficiência em letramento em português e matemática; dos problemas na transição de alunos do fundamental II para o ensino médio; e da falta de sentimento de pertencimento e envolvimento dos alunos no ensino médio", ressaltou Larissa Santa Rosa.

 

De acordo com a professora Rosana Nascimento, representante do BNDES, o lançamento do Programa em Sergipe é motivo de orgulho e satisfação para todos os parceiros e atores envolvidos na construção desse projeto, que parte, primeiramente, das escolas e dos professores.

 

"A Educação é uma das prioridades do Banco, que, dentre os focos de atuação, contempla o apoio a iniciativas de conectividade e projetos orientados para o uso de tecnologias e inovações que possam ser escalados no âmbito do território onde se desenvolve, e para outros territórios", disse, ao frisar, como objetivos do Programa, o apoio à universalização do acesso à internet em alta velocidade em escolas públicas e o fomento ao uso pedagógico de tecnologias digitais na educação básica.

 

Presente ao evento, a professora Ana Lúcia Sartorelli, coordenadora geral de Gestão Escola da Secretaria de Educação Básica do MEC, qualquer que seja a ação ou iniciativa voltada à Educação, esta não vai funcionar se não contar com o apoio e engajamento dos professores e das equipes gestoras das escolas. Dirigindo-se aos professores das noves escolas estaduais contempladas pelo Programa, Sartorelli conclamou a todos a se envolverem no projeto. "O mais importante nesse momento é que vocês [professores] possam entender o papel que têm para o desenvolvimento do projeto e que colaborem, pois só vocês sabem a realidade da escola em que atuam", ponderou.

 

Como funciona

 

A partir dos desafios identificados no diagnóstico, explicou Larissa Santa Rosa na exposição que fez no lançamento do Educação Sergipe Conectada, foi possível perceber possíveis práticas pedagógicas que podem ser adotadas pelas escolas, como o ensino personalizado, que se utiliza da tecnologia para acompanhamento e avaliação contínua dos alunos, de forma a coletar dados que, por sua vez, informam o caminho e o processo de aprendizagem de cada estudante.

 

Segundo afirmou, os professores poderão ministrar aulas enriquecidas com tecnologia, utilizando conteúdos digitais, valendo-se da utilização de projetores e computadores em sala de aula conectados à internet banda larga, assim como a possibilidade do ensino híbrido, uma abordagem que promove integração entre o ensino presencial e propostas online, valorizando as melhores formas de oferecer diferentes experiências de aprendizagem aos estudantes.

 

Para isso, destacou Larissa, algumas estratégias foram traçadas, como a inserção, no plano de ação das redes de ensino, como instrumento norteador aos professores, de orientações sobre o uso de tecnologias educacionais nas práticas pedagógicas e o desenvolvimento de plano de formação continuada de professores, gestores e técnicos para o uso de tecnologia como ferramenta de inovação da prática pedagógica.

 

"São também estratégias do Educação Sergipe Conectada o desenvolvimento de trilhas de formação para os professores dos 3º, 6º e 9º anos do ensino fundamental com foco em letramento em português e matemática; o desenvolvimento de trilhas de formação para professores, nas frentes do Novo Ensino Médio e Escola em Tempo Integral; a (re)implementação de repositórios para curadoria, seleção e uso de recursos educacionais digitais pelas redes;  a revitalização dos espaços de tecnologia (fixos e móveis) nas escolas participantes do projeto, possibilitando a formação de professores nesses ambientes e o uso, pelos professores, em suas práticas pedagógicas; e ampliação de acesso à internet de alta velocidade", listou a articuladora estadual do Programa.

 

Professora do Colégio Estadual Abelardo Romero Dantas, Mayra Nascimento disse considerar o BNDES Educação Conectada uma iniciativa de grande valia para a escola em que leciona. "Esse projeto é fundamental, pois uma das dificuldades que temos enfrentado atualmente, nas escolas, é a de conseguir trabalhar com os jovens quanto ao uso das novas tecnologias dentro da sala aula, considerando que praticamente todos têm acesso a elas hoje em dia, quando, muitas vezes, ainda não estamos devidamente preparados para isso. E o Programa contempla essas formações. Então, para nós professores isso é superinteressante.

 

Para Patrícia Vieira, professora da Escola Estadual Dom Mário Rino Sivieri, uma das contempladas pelo Educação Sergipe Concectada, por agregar infraestrutura às escolas e trazer ao ambiente das salas de aula internet em alta velocidades para utilização de plataformas online com conteúdos digitais, o Programa já se justifica. "Mas é preciso que todos colaborem, para que, de fato, possam funcionar como planejado", ressalta.

 

Como meta final, o Educação Sergipe Conectada projeta melhorar os índices de alfabetização das turmas de 1º e 2º ano do ensino fundamental; melhorar índices de letramento em português e matemática nos 3º, 6º e 9º anos do ensino fundamental; reduzir a evasão escolar nos anos finais do ensino fundamental II e nos anos iniciais do ensino médio.

 

Da rede estadual de ensino foram contemplados os colégios estaduais Professor Abelardo Romero Dantas e Silvio Romero, e as escolas Dom Mário Rino Sivieri, Dr. Evandro Mendes, Luzia Dória de Carvalho, Monsenhor Marinho, Nossa Senhora da Piedade, Senador Leite Neto e Rotary Clube. Dentre as unidades escolares da rede municipal de ensino de Lagarto, foram contempladas as escolas Adelina Maria de Santana Souza, Doutor Lourival Batista, Frei Aloísio Libório de Carvalho, Isaías de Souza Libório, Luiza Pereira do Nascimento Rodrigues, Manoel de Paula Menezes Lima e Paulo Rodrigues do Nascimento. Estiveram presentes, também, o representante da Fundação Lemann e do Itaú Social, Jadiel Cunha, e a representante do Cieb, Lia Rothenberg.