voltar
Pesquise sobre nossas escolas, notícias, portais e páginas.
(apague o campo para eliminar a pesquisa.)

Jovem Parlamentar: Estudante sergipano cria projeto de lei sobre preservação do patrimônio histórico-cultural

Por Leonardo Tomaz
- 11/07/2019 15:23:00
789 acessos imprimir

 

Segunda matéria da série “Jovem Parlamentar” com alunos pré-classificados na etapa estadual para o Programa Parlamento Jovem Brasileiro, o PL do estudante Adson de Brito Pereira, aluno do 3º ano do ensino médio do Colégio Estadual Murilo Braga, é um dos três projetos pré-selecionados e foi sensibilizado pelo incêndio que ocorreu no Museu Nacional, no Rio de Janeiro, em 2018

 

Com o Projeto de Lei “Redescobrindo a História”, o itabaianense Adson de Brito Pereira, aluno do 3º ano do ensino médio do Colégio Estadual Murilo Braga, localizado na região Agreste de Sergipe, foi um dos pré-selecionados para o programa Parlamento Jovem Brasileiro (PJB). Sensibilizado com o incêndio que ocorreu no Museu Nacional, no Rio de Janeiro, o estudante elaborou uma proposta que aborda o incentivo à preservação patrimonial e sociocultural do Brasil em escolas públicas e privadas do país.

 

“Com toda aquela repercussão do incêndio que atingiu as dependências do Museu Nacional, no dia 2 de setembro de 2018, me veio aquele sentimento de impotência, de não poder fazer nada. Depois que eu soube que as inscrições para o PJB estavam abertas, percebi que minha contribuição seria a criação de uma lei com o intuito de solucionar esse problema”, narrou Adson Brito, explicando como pensou no projeto.

 

De caráter educativo, o PL tem por objetivo disseminar a preservação patrimonial através dos conhecimentos adquiridos por alunos de escolas públicas. “Hodiernamente, observa-se o descaso com os centros históricos brasileiros, destacando-se o recente incêndio no Museu Nacional do Brasil que atingiu grandes proporções, resultando na destruição de quase a totalidade do acervo histórico e científico construído ao longo de duzentos anos, e que abrangia cerca de vinte milhões de itens catalogados”, completou o estudante.

 

Ainda de acordo com o estudante, o projeto surge como uma ferramenta capaz de despertar o interesse do jovem para as práticas relacionadas à cultura. “Ressalta-se também a importância de atividades que visem à preservação patrimonial a serem trabalhadas em sala de aula, pois através dela os processos educativos têm como foco o patrimônio material e imaterial, usufruindo assim de referências históricas e culturais em todas as suas manifestações, a fim de colaborar para seu reconhecimento, sua valorização e preservação da diversidade sociocultural brasileira”, enfatizou.

 

Rede de apoio

 

Durante o processo de elaboração do projeto, o estudante Adson Brito recebeu o auxílio de duas pessoas que foram essenciais para a finalização e inscrição do Projeto de Lei:  Rafaela Felex Diniz, professora de Redação do curso Pré-Universitário, e Marcos Vinicius Soler Baldasi, que participou do PJB 2017.

 

A professora Rafaela Felex Diniz conta que Adson é um aluno engajado e estudioso. “Quando vi o texto dele fiquei muito encantada com a forma como ele abordou o tema. Percebo um grande potencial nesse jovem, que sempre correu atrás dos seus objetivos”, elogiou.

 

Marcos Vinicius Soler Baldasi, estudante de Direito, também auxiliou o sergipano Adson na elaboração do PL. Com sua experiência na edição 2017 do PJB, Marcos criou um grupo de apoio sem fins lucrativos chamado ‘Você Protagonista’ com estudantes de todo o Brasil para transmitir dicas e sugestões. “Foi a partir desse projeto que Adson nos encontrou nas redes sociais. Desde o início ele sempre foi muito empenhado, e nesse sentido fui o instruindo para construir uma proposta com o objetivo de intervenção eficaz. Quando ele concluiu, percebi o potencial do projeto e que era extremamente importante para o cenário patrimonial cultural do Brasil”, relatou.

 

Futuro

 

Entusiasmado com a seleção na etapa estadual, o estudante espera que o projeto se torne referência na formação de jovens e que o assunto seja tratado de forma constante nas escolas. “O projeto de lei apresentado abre caminho para a contribuição e para o exercício de convivência no espaço público. As instituições de ensino deverão demonstrar aos alunos a necessidade de se ter um olhar coletivo e sensível sobre o patrimônio histórico. Consequentemente, vale ressaltar a importância da formação histórica para o desenvolvimento do pensamento crítico e consciente de seus deveres, bem como da valorização, respeito e promoção dos espaços históricos que marcam as vivências do tempo de um Brasil que é tão plural pela sua diversidade”, pontuou.

 

Parlamento Jovem Brasileiro

 

Foram pré-classificados Vitor Cardoso Alves (Centro de Excelência Professor Hamilton Alves Rocha), de São Cristóvão (SE), com Marcos Vinícius Menezes Santos (Colégio Estadual Professor Abelardo Romero Danas – Lagarto, Enzo Luiz de Oliveira Menezes (Instituto Federal de Sergipe – Campus Lagarto).

O programa é destinado às escolas públicas estaduais, federais e particulares, podendo participar alunos de 16 a 22 anos, matriculados na 2ª ou 3ª série do ensino médio, ou na 2ª, 3ª ou 4ª série do ensino técnico na modalidade integrada ao ensino médio.

 

A pré-seleção de Sergipe foi feita pela Assessoria Internacional da Secretaria de Estado da Educação, no dia 17 de junho, quando uma banca examinadora, composta de professores de Sociologia e Língua Portuguesa e representante da Assessoria Especial da Seduc, reuniu-se para analisar e selecionar os quatro melhores projetos de lei, dentre os 21 inscritos no programa.

 

A Casa Legislativa será responsável por fazer uma nova avaliação dos projetos de lei e escolherá apenas um, cujo aluno autor participará de uma jornada legislativano período de 22 a 27 de setembro, em Brasília (DF). A divulgação do resultado final acontecerá no dia 6 de agosto, também no portal da Câmara dos Deputados.

 

Os jovens representantes de cada Estado participarão de uma jornada legislativa, que muito se assemelha ao processo legislativo real. Os estudantes parlamentares selecionados de todo o país tomam posse como deputados jovens e participam ativamente de todo o processo, dando voz às suas ideias.

 

Leia também

 

Jovem Parlamentar: Estudante pede mais participação dos jovens no Conselho Nacional de Direitos da Criança e do Adolescente