voltar
Pesquise sobre nossas escolas, notícias, portais e páginas.
(apague o campo para eliminar a pesquisa.)

Encontro Formativo do Programa Sergipe na Idade Certa ocorre em parceria com a Unicef

Por Francimare Araújo
- 09/09/2019 17:15:00
316 acessos imprimir

 

O Encontro Formativo do Programa Estadual de Correção de Fluxo Escolar  Sergipe na Idade Certa reúne entre os dias 9 e 10 de setembro, no auditório prof. Hermínia Caldas, na sede da Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc), Coordenadores Pedagógicos das dez Diretorias Regionais de Educação, formadores da Seduc licenciados nos componentes curriculares da Base Nacional Comum Curricular e os professores Henry Daniel de Souza e Lígia Beatriz, ambos professores do colégio de Aplicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 

 

A reunião acontece com a finalidade de discutir propostas para diminuir o índice de distorção idade/série dos estudantes da Rede Pública de Ensino de Sergipe. Este é o objetivo estratégico de número três do Programa Estadual de Correção de Fluxo Escolar a ser implementado nas redes municipais de ensino com a adesão da gestão municipal ao Pacto Sergipano pela Alfabetização na Idade Certa. Para tal, foi realizado um diagnóstico que identificou mais de 50% de estudantes da rede estadual em distorção idade/série.

 

Para reverter essa situação, a Diretora do Departamento de Educação, Ana Lúcia Lima, explica que o mapeamento realizado pela Seduc observou que a distorção acontece nos anos iniciais do Ensino Fundamental, mas aumenta consideravelmente nos anos finais também, suscitando um enorme desafio para os educadores. Dessa forma, o programa compreende quatro etapas para enturmação dos estudantes. 

 

A primeira fase corresponde aos alunos matriculados no 3º ano do Ensino Fundamental já em situação de distorção, com aprofundamento e foco na alfabetização e no letramento matemático inicial. A segunda etapa se dirige aos estudantes do 4º e 5º ano em distorção, concluindo sobre quais aspectos cognitivos são necessários para trabalhar com cada um deles a fim de sanar as carências e deficiências na alfabetização. E, a posteriori, encaminhar o aluno para o ensino regular. 

 

O Programa Estadual de Correção de Fluxo Escolar pretende ofertar para o aluno o ensino regular de acordo com os resultados gerados pelo processo de implementação. Se o estudante permanecer em distorção ele será encaminhado para as duas últimas etapas do programa aplicadas nos anos finais do Ensino Fundamental, ou seja, 6°, 7º, 8º e 9º ano.

 

Parceiros  

 

Os parceiros do Programa Estadual de Correção de Fluxo Escolar Sergipe na Idade Certa são a Universidade Federal do Rio Grande do Sul, a Comunidade Educativa CEDAC, o Instituto Avisalá e a Unicef.

 

Para Ana Lúcia Lima, essa parceria ajuda a fortalecer o programa porque socializa as vivências dos formadores, fomentando a sensibilização e a mobilização das escolas.

 

Na ocasião, os participantes da formação estão conhecendo as ações adotadas pelo Programa Trajetórias Criativas, implementado no Rio Grande do Sul a partir de 2011. Os professores Henry Daniel e Lígia Beatriz estão intercambiando as metodologias, trabalhos de campo e outras atividades que venham a contribuir na aplicação do programa sergipano.

 

O professor Henry Daniel contextualiza a visita a Sergipe com o agravante de que alguns jovens de 15 a 17 anos, que deveriam estar no Ensino Médio, ainda permanecem nos anos finais do Ensino Fundamental. Entre as saídas apresentadas pelos professores do Colégio de Aplicação da UFRS, Henry cita atividades inovadoras; trabalhos integrados; e o desenvolvimento de questões do espaço e do tempo, relacionando aprendizagens prévias que os estudantes tem e que a escola muitas vezes ignora.    

 

O trabalho integrado e a identificação das potencialidades desses adolescentes são prioritárias para o professor Henry. Segundo ele, é depois de conhecer mais de perto as habilidades das crianças e dos adolescentes que a escola deve contribuir para o avanço das novas aprendizagens dos estudantes. 

 

Escolas-piloto

 

Entre os dias 20 e 21 de setembro os professores dos anos iniciais e finais do Ensino Fundamental farão parte do Encontro Formativo com Professores e Gestores das escolas-piloto. A escolha das escolas partiu do mapeamento realizado pela Seduc. São as escolas com maior índice de distorção identificadas na Diretoria Regional de Educação 8 e Diretoria de Educação de Aracaju, que compõem a maior população de estudantes do estado. 

 

O coordenador pedagógico da DRE8, Ádson de Lima, espera com entusiasmo o desenvolvimento do programa, pois as equipes gestoras das escolas estão se preparando para a implementação. Ele lembra que a correção perpassa por todos os municípios da região, no entanto, as escolas-piloto no primeiro momento serão dos municípios de Nossa Senhora do Socorro e da Barra dos Coqueiros.